para a mãe que trabalha fora… nós!

 .

Este post e poesia é para a mãe que trabalha fora… ahhh e são tantas!

 

Começando por minha história, posso dizer que sempre fui uma workaholic assumida e me dediquei intensamente à minha carreira profissional até o final da gravidez.

Trabalhar bastante nunca foi um problema para mim, pois sempre amei a minha profissão e a ela assim me dediquei.

Mas logo que soube da minha gravidez, imaginei que algo iria mudar. Passaram-se os 9 meses de gravidez,  licença a maternidade de 5 meses, e então retomei minha carreira profissional.

Na verdade, como também trabalho como autônoma, meu trabalho nunca cessou de vez neste período da licença, mas meu escritório permaneceu em um ritmo infinitamente mais lento.

E então chegou o grande dia, dia de retomar os trabalhos no ritmo anterior, e lá fui eu, achando que seria um pouco diferente.

Mas de repente notei que não era bem assim… foi bemmm diferente!

Não existia mais o sair de casa com o único intuito de realizar tarefas, focada o dia inteiro no trabalho, para chegar em casa cansada (eu não sabia o que era cansaço kkk), fazer uma atividade física, tomar um banho, jantar e cair na cama, como a melhor coisa do mundo…

Nãooo... iria ser bem diferente!

Acho que tem muito sentimento envolvendo esta mãe que trabalha fora e o primeiro com certeza é o desapego. Porque apego definitivamente é uma palavrinha quase que exclusiva materna rs…

Voltar para o trabalho e deixar o filho, ponto final!
Pânico geral… onde, como e com quem?

 

Nestas horas é que são necessárias as tais redes de apoio… o pai, os avós, tios, amigos, enfim! E para mim foi um pouco mais fácil pois meus pais fizeram o papel de anjos da guarda e até hoje me ajudam mega na criação do Dan.

Além disto, por meu trabalho ter horários flexíveis, eu pude esperar meu filho completar seus 2 aninhos para colocá-lo na escolinha e ainda por meio período. Com isto, consigo levá-lo e buscá-lo e ainda acompanhar mais de perto seu desenvolvimento dia a dia!

Mas e a mãe que sai de manhã e volta à noite todos os dias, muitas vezes deixando o filho muito cedo e chegando com ele já dormindo?

Como é possível contabilizar este desespero emocional? Sim… desespero!

Não é possível colocar no botão OFF, um botão de MODO MÃE que esteve ON, 24 horas por 5 meses consecutivos…

Não, este botão não desliga nunca, nem com o passar do tempo… e aí que eu descobri!

Descobri que este botãozinho de Deus, é totalmente full time e temos que aprender a ficar olhando a luzinha acesa VERDE e manter o equilíbrio de não poder carregar o filho com a gente o tempo todo.

Ahhh… grande aprendizado, tentar dividir os MODOS mãe e profissional, sem perdas. Um exercício interno de se manter firme ao longo do dia, focada 100% no trabalho (never, rs) e sabendo que está fazendo o melhor para ambos.

Fácil na teoria mas bem difícil na prática!

Ao mesmo tempo vem as questões pessoais da mãe, de amar a própria profissão e querer continuar prosperando, ou até o simples fato de precisar manter financeiramente a família… e que também refletirá gigantemente na vida do filho!

E ainda, passando a maior parte do tempo fora, acaba acumulando mais atividades que uma mãe que fica em casa com o filho, pois  tem que se dividir entre casa, trabalho e família e ainda aprender a delegar… afff… pirante!

Bem difícil né, mas se pensarmos que todo o fruto do nosso trabalho também refletirá na vida de nossos pequenos, o fardo fica mais leve…

Até porque, no meu caso, eu amo a minha profissão e ficaria muito infeliz sem ela!

E algum filho ficará feliz com uma mãe infeliz na vida? Claro que não…

 

Então dá-lhe controle emocional para nós, mães ehehe, para pôr na balança o que hora achamos certo e hora achamos errado e vice-versa…

Porque cabeça de mãe é assim, muda de 5 em 5 minutos mesmo… e ainda posso dizer que a mamãe que não trabalha fora, também tem lá os seus dilemas e anseios! Tudo igual ehehe…

Ai, chega de lamúrias e bora POESIA pra nós… mamães que trabalhamos fora, guerreiras e orgulhosas de nossos filhos e de nossas profissões, nem melhores nem piores, apenas assim!

Porque quando falam que a gente não dará conta, daí é que damos conta mesmo ehehe…

.

POESIA

para a mãe que trabalha fora

Sim filho, estou tentando acertar…
Estou tentando conciliar meu trabalho com seus horários.
Juro estou tentando, mas às vezes eu me embaralho!
Às vezes nem sei por onde começar…
É tanta coisa pra pensar, pra organizar,
pra deixar a vida melhor pra você…
Tô me esforçando filho, você já deve saber!
.
Mas às vezes não dá…
Às vezes falta energia, às vezes falta alegria, ao longo do dia,
pois acaba a pilha e começo a arrear!
Em tempos você quer minha atenção, que faltou durante o dia,
mas se torna impossível largar a rotina e no chão com você brincar!
.
Pois sou só uma mãe…
Uma mulher qualquer, que trabalha e divide a vida,
entre emprego e família e vive a sonhar!
.
Sonhar com um tempo mais vasto, que deixe de ser escasso, pra com você mais estar.
Às vezes me sinto egoísta, cuidando da minha própria vida, sem você priorizar…
Mas logo cai minha ficha, que todos os dias da minha vida,
que acordo cedo a trabalhar, é pra te beneficiar!
Porque não só de amor vivemos a vida, a profissão faz parte da lida,
daí volto a me encorajar!
.
Sim filho, eu nunca quis tanto acertar…
Porque sendo mãe que trabalha fora,
Dr. Tempo não corre, demora,
E por muitos momentos do dia, queremos pra casa voltar!
Vive sempre dividida, parte se sente bandida,
e parte se sente heroína, dos passos que dá!
.
Mas sou somente uma mulher e mãe.
Eu às vezes não acerto, já te aviso de antemão…
Mas o mais lindo, meu filho,
É que mesmo eu errando um pouquinho,
Ainda seguras na minha mão…
Com seus olhos de tanto brilho, me dizendo com simples sorriso:
Vai mamãe, não abra mão…
Corra atrás dos seus sonhos, de seu amor por sua profissão…
Sei SIM… me carrega no coração!
.
Ahhh meu filho, sou apenas sua mãe
com mil tarefas no dia a me virar.
Sabendo que cada um tem seu tempo
e felizes momentos juntos
sempre vêm nos brindar…
E quando saio para o trabalho,
levo você em meus laços, torcendo pra hora voar.
Pra logo reencontrar seu carinho, aí nada mais vejo no caminho,
eu só quero pra casa voltar…

.

Isto filho, faço parte destas mamães…
Frágeis, sensíveis mas cheias de força,
realmente MÃES LEOAS defensoras
com seus filhos a criar…
Com sentimentos demais,
Preocupação demais,
Se cobram demais
Mas buscando o melhor,
Com tantos demais, correm atrás!
.
Que nem sempre amam suas profissões,
mas priorizam seus filhos e bancam as contas do lar.
Se questionam, mas continuam,
até porque desistir, nem pensar!
Pois o amor que as alimentam,
Saiu de seu ventre, transcende as fronteiras
da alma, do peito e de sua maneira
continua a vida a galgar…

Mas sempre a comemorar…

Na demanda da vida e na vontade da alma
Só somos mulheres e mães que optaram por prosperar!!!

.

Foto @greycarvalho Stil Foto e Vídeo
Curtiu esta crônica e poesia de maternidade? Clica abaixo NO LINK e curta um pouco mais! bjooo
.

Comentários

Comentários

4 Replies to “para a mãe que trabalha fora… nós!”

  1. LInda a poesia e todo o post falando desse sentimento tão desesperador que é sair para trabalhar e deixar o filho. Não tem botão de off! Aliás, o botão trava no on e nunca mais desliga.
    É difícil, muito difícil, mas é possível e pode ser muito bom para os dois (mãe e filhos) quando é uma decisão baseada no respeito aos valores e identidade dessa mulher que também é mãe.
    beijos
    Chris

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *