adaptação escolar… filho na escola infantil

Ahhh como esta fase é difícil abordar… porque cada caso é um caso, cada filho é de um jeito e cada mamãe pensa de uma forma!

Mas vamos lá, vou contar um pouco sobre a adaptação escolar do meu filho na escola infantil…

E foi neste ano, no dia 01 de fevereiro de 2017, uma quarta-feira, no auge de seus 1 ano e 11 meses, que o Leão saiu debaixo da juba da mamãe e deu o primeiro passo para a Selva (escola infantil rs)… #mãedramática ehehe!!!

Eu estava bastante tensa e já vinha chorando, ops rs, me preparando psicologicamente desde que eu comecei a procurar escola, no semestre anterior.

Alguns tópicos me ajudaram na escolha da escola:

  1. Ouvi as recomendações de pessoas próximas com filhos pequenos e fiz a lista para visita da escola (principalmente de amigos).
  2. Fui pessoalmente nas escolas escolhidas para conversar com as pessoas, com a coordenadora pedagógica, ver o atendimento, sentir o clima do local, a energia e o cheiro (este tópico, só para as mamães fora da caixa como eu, rsrs)
  3. A infraestrutura da escola, como salas de aula, refeitório e principalmente o espaço de recreação (falando já da escola escolhida, surtei nos espaços de recreação e educação física… me ganharam).
  4. Proximidade da casa de meus pais, que no caso, buscariam meu filho em caso de emergência ou impossibilidade minha por conta do trabalho.
  5. Quantas crianças por sala x quantidade de professor/ assistente (na sala do Daniel são oito crianças e uma professora + uma assistente)
  6. Metodologia de ensino e atividades extras (porque na boa escola não são somente brincadeiras, são atividades lúdicas com fundamentos para aprendizagem).
  7. E por último, aliás muitooo importante, uma mensalidade que coubesse no meu bolso! (preço adequado aos meus rendimentos).

Partindo disto, fui em busca da preferida durante uns três meses, com o coração apertado…

Daniel era super mega hiper apegado a mim e ainda estranhava muito as pessoas, mesmo familiares presentes no convívio dele.

E cada vez que eu falava com ele sobre a escola, ele começava a chorar e dizer que não queria ir.

Me dava até um frio na barriga e amoleciam as pernas quando eu lembrava que o dia estava chegando… kkk

Pensava em desistir mas ao mesmo tempo, sabia que havia chegado a hora e ele precisava de atividades, além de ficar em casa assistindo desenho e brincando sozinho!

E chegou o grande dia:

escola escolhida – OK

matrícula feita – OK

material escolar devidamente comprado, etiquetado e entregue – OK

uniforme escolar lavado e ajustado com barras gigantes, rs – OK

banho tomado e pescoço cheiroso – OK

mochila e lancheira nas costas – OK

FOMOS…

Foi muito difícil imaginar que seria fácil como todos diziam, mas de verdade, NÃO FOI TÃO DIFÍCIL ASSIM!

Houveram três dias de adaptação de 2 horas e logo após horário normal de 4 horas diárias, período tarde (preferi por conta do sonico manhã mais tranquilo sem hora para acordar).

E foram bem tensos…

O primeiro dia chorou ao entrar e ao sair…

O segundo dia chorou ao entrar e bico de choro ao sair…

O terceiro dia chorou ao entrar e cara de choro ao sair…

E evoluiu na semana seguinte, que também não foi fácil… ao tocar no nome da escola: ” Nem pensar, mamãe, nem pensar”… kkk

Então dificultava para tomar banho, para almoçar, para colocar o uniforme, ou seja, não queria ir…

E assim seguiram-se em torno de 15 dias, porém sem chororô, somente com a resistência!

Passado este período, já chamava as professoras pelo nome e comentava as brincadeiras e brigas com os amigos.

Também os amiguinhos já os chamando pelo nome… amizades estavam feitas!

E claro, a partir daí, ele não via a hora de chegar na escolinha para poder brincar com os amigos, mas a despedida da entrada ainda permanecia com a mãe meio escondida, rs!

.

E os brinquedos educativos começaram a ser produzidos por eles e os incentivando a voltar à escola no dia seguinte.

Na foto abaixo, chocoalho com embalagens de Yakult ,arroz e muitaaa tinta…

Depois chegou o Carnaval, e além das crianças fantasiadas, houve uma grande festa carnavalesca para os pequenos, promovendo interação entre a sala e extra sala!

O Dani foi de Homem Aranha Baby, com fantasia que customizei!

Chegou o aniver de 2 anos do Leão, e montei uma festinha com o tema que ele escolheu: O Bom Dinossauro!

Foi um sucesso e ajudou a ele perceber que a escola e os amigos fazem parte da vidinha dele e que é muito divertido estar com eles.

E a festa rolou em casa também, veja: http://amaeleoa.com.br/2017/03/30/festa-infantil-o-bom-dinossauro-parte-13/

Mamãe pirou com este palhacinho no dia do Circo e Dani curtiu ter participado da confecção da fantasia, contando todos os detalhes ao chegar em casa.

E rolaram na mão do Leão, mimos de agradecimento às professoras e coordenadora, pelo carinho e atenção.

No dia da Mulher, dia do Índio, dia do Meio Ambiente, dia disto, dia daquilo… tudo também teve comemoração e fantasias ou brinquedos feitos por eles, além das tarefas de casa através do rodízio de livros de Leitura.

Ohhh meu Deus… neste dia meu coração apertou: Dia das Mães! E não teve festa não… só presente e abraço forte!

Porque na escola dele, eles acreditam nos vários formatos de família e não pretendem causar constrangimento a nenhuma criança e o mesmo acontece no dia dos Pais!

Perfeito…

Primeira reunião da turma, final de semestre… tarefas realizadas, trabalhos feitos, total de faltas, estas coisas.

E a mamãe aqui, entrou na sala de aula do pequeno Leão toda orgulhosa e lá estava… a tal pasta de atividades!

A mãe leoa ficou muito orgulhosa do filho que tem, e as lágrimas acumularam no canto do olho sem que ninguém visse…

Simmm…. valeu muito a pena colocá-lo na escola infantil e não há receio nenhum a ser mantido pela mamãe.

 

E para encerrar o primeiro semestre de aula com chave de ouro, rolou a festinha junina… tudo ensaiadinho, lindo.

Dani chorou na hora da dança… chorou, chorou mas não parou de dançar, sempre atento ao compasso da música!

Gamei… rs

E penso que algumas ações foram fundamentais para que este início e adaptação escolar fossem suaves e cheio de sucesso.

Creio que ajudaram muito:

  • eu levar e buscar na primeira semana, sem terceirizar a tarefa (me programei no trabalho para isto, para dar-lhe aconchego e segurança).
  • sempre lembrá-lo que assim que as brincadeiras acabassem, eu estaria lá para buscá-lo sem atrasos (percebi que as crianças choravam ao perceber que algumas já estavam indo embora e ela ficando – sentimento de abandono).
  • conversar olho no olho, explicando que ao chegar na aula, faria tantas atividades e brincadeiras que amaria (ele ficava imaginando).
  • o lembrava sempre quando o choro vinha, daquele brinquedão no playground que ele e os amigos iriam brincar no começo de cada aula.
  • no horário de entrada (período tarde), evitava mimimi e mal conversava com ele. Era a tarefa mais importante para nós, o desapego… deixava a lancheira na mão dele fazendo-o participar do ritual, dava beijo e o entregava nas mãos da professora, saindo rapidamente (claro que ficava espiando pelas frestas sem ele me ver, rsrs).
  • e após a saída da escola, sempre perguntava como havia sido o dia e instigava-o a contar detalhes (isto até hoje e sempre será).
  • EU ESTAR PRESENTE 100%… nem sempre física mas emocionalmente!
Ahhh, são tantas fases de adaptação que temos na maternidade e esta é somente uma delas, necessária e inevitável!
Sim, mas creio que minha experiência de adaptação escolar com meu filho possa ajudar você que está aflita ou com dúvidas, porém esta decisão será somente sua.
Espero ter contribuído um pouquinho nos seus questionamentos!
Depois me conta os resultados!!!

 

E se curtiu, tem mais Post relacionado abaixo… e Boa Sorte para você e seu pequeno/a príncipe ou princesa!!!

futuro do filho… o que uma mãe espera?

 

 

Comentários

Comentários

2 Replies to “adaptação escolar… filho na escola infantil”

  1. Oi Elaine
    Muito bom seu post. Completo e emocionante.
    Este é um momento delicado, mas que pode ser muito bom, ne?
    Adorei as fotos
    Por aqui, meus dois foram para a escola com a mesma idade do Daniel
    Bjs

    1. Obrigada querida, faz parte do ciclo da vida e é inevitável ir contra… o melhor a fazer é tentar lidar da melhor forma e com muito amor, não é? bjooo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *