sobre o método Montessoriano de ensino

Claro que queremos encher de beijos nossos filhotes e de todo o melhor que a vida possa oferecer… e sabemos que o custo do cuidado com eles é infinitamente menor do que o custo do reparo!

A tempos que ouço falar sobre quarto infantil Montessoriano, mas a pouco tenho conhecido sobre o método Montessoriano de desenvolvimento infantil e fiquei encantada.

Primeiro que nada vale um quarto todo otimizado, se os conceitos reais não são passados à criança e aplicados no dia a dia!

Segundo que a gente estuda pra tanta coisa, mas para a tarefa mais importante de nossas vidas, que é para ser pai ou mãe, a gente acha que não precisa, que somente passar a diante os valores que aprendemos é o suficiente.

Mas nem sempre é válido… tenho aplicado alguns destes conceitos com o Dan e já tenho notado bons resultados e resolvi compartilhar com vocês.

Não sou especialista no assunto e passo longe de ser orientadora de qualquer método de ensino à criança, trago somente o meu parecer enquanto mãe, fazendo um resumo de um dos vídeos da Psicopedagoga e Escritora Isa Minatel do http://www.mundoemcores.com , então vamos lá:

7 ERROS dos pais

  1. Preocupar-se mais com os objetos e sujeiras do que com o desenvolvimento da criança: limitar a exploração é um erro pois o mexer tem a ver com o aprendizado da criança;
  2. Acreditar que sabe o que é certo e o que é melhor para a criança sem observar e entender a criança: cada indivíduo é único e tem necessidades diferentes, perceber quais são as coisas que lhe fazem bem, suas reais necessidades e que pode ser completamente diferente de outra criança. Comparar é inadequado e injusto;
  3. Obstaculizar a exploração e a ação da mão da criança no desenvolvimento da criança: as mãos vão querendo explorar o mundo e são instrumentos de trabalho, cada vez que damos um tapa na mão da criança, diminuímos a ação e a vontade, tirando a semente do interesse da criança, matando a iniciativa, da ação, e podem se tornar pessoas dependentes;
  4. Desrespeitar o ritmo da criança: “vamos logo, estou com pressa, vamos vamos…”, apressando as crianças: elas não tem condições de responder a tudo no mesmo ritmo do adulto. Às vezes pára para observar uma formiga, uma flor, uma árvore. Tenhamos paciência e resgatemos a sensibilidade e se temos compromissos a cumprir, comecemos antes para dar tempo de estimular a autonomia da criança no tempo dela, que é infinitamente maior do que o adulto;
  5. Acreditar que o cuidado mais importante que se pode dar a criança é o com o que se vê: o externo é importante, roupa, alimentação mas e a parte mental e a espiritual? Tudo que a criança mais precisa é alimento para a alma e a mente, claro que o externo é mega importante mas precisamos estar atentos a esta balança, sair do concreto e ir para o abstrato também;
  6. Fazer interação equivocada e desnecessária com a criança: equivocada quando soltamos piadas com a criança, ridicularizando-a, fazer algo para todo mundo rir dela sem ela gostar. Desnecessária quando interrompermos a atividade da criança e o desempenho dela muda, por exemplo, se ela estiver pintando e você chega e tira a atenção do que ela está fazendo, ela pára a atenção no trabalho e pensa na pessoa que a está observando;
  7. Não se preocupar em se conhecer e mudar: quem sou eu? Como eu funciono? Sou muito autoritário ou não? Como tenho funcionado em meu piloto automático e que preciso atualizar? Já funcionou mas não funciona mais, o que ficou da minha infância que não ficou legal em mim e estou passando a diante sem perceber? Isto reflete no modo como educamos nossos filhos, com certeza!

5 ACERTOS dos pais

  1. Respeitar o recém nascido com silêncio, com um ambiente aconchegante, tranqüilo para a adaptação ao mundo externo: a necessidade do bebê ao nascer;
  2. Corresponder as necessidades do ser imaturo: acompanhar o pequeno correspondendo a vida nova, pois muda nosso ritmo de vida e precisamos aceitar e nos adequar;
  3. Criar condições adequadas para o desenvolvimento da autonomia da criança: permitir por exemplo, que a criança se troque sozinha, mesmo que de forma equivocada, ter paciência pois este é o momento dela e seu processo de aprendizagem. Colocar elementos dentro de nossa casa facilitando o acesso à criança é outro exemplo, para que ela possa ser autônoma em suas atividades;
  4. Prestar atenção e estar consciente para ajudar a criança a descobrir a sua missão de vida: quando a pessoa tem uma missão, esta sobressai, vem da alma, de dentro e às vezes foge do padrão.
  5. Perceber os dons da criança e estimular isto, liberar e criar condições para a criança se conectar com sua missão, fazendo com que ela mostre seu interesse no que gosta e respeitar, é fundamental para o seu desenvolvimento!

SOBRE O MÉTODO MONTESSORI

  1. Ele não forma crianças, ele descobre as crianças;
  2. Ele se baseia na escolha da criança, com suas opções disponíveis, buscando saber internamente o que realmente ela gosta. Este processo de poder escolher faz com que ela aumente sua auto estima e o auto conhecimento!
  3. Responsabilidade e atitude dos pais: está nas nossas mãos conduzir este processo, fazer com que a criança participe das atividades do adulto, pois ela entende muito mais que imaginamos
  4. Entender seu ritmo e tratar a criança como um ser, com respeito, valorizando suas opiniões, com sua autonomia, parar, esperar e ser o melhor que ela pode ser, que tem vez e voz!

COMO POSSO COMEÇAR?

  1. Amor em primeiro lugar! A criança se desenvolver em um ambiente familiar de amor e harmonia, é fundamental para que se torne um adulto saudável;
  2. Observar muitooo seu filho para conhecê-lo e nos conhecer também faz parte;
  3. Resolver os conflitos sem punição e sem recompensa, pois são recursos não nobres por conta do prêmio ou medo do castigo;
  4. Organizar a casa de acordo com o método: a chave é pensar na autonomia da criança, se ela alcança a pia, pega a toalha de banho, usar a bacia sanitária sozinha, entre outras atividades…
  5. Dar “liberdade” de desenvolvimento à criança, pois traz confiança a ela. E se ela é respeitada e livre, por que seria rebelde e indisciplinada? Com isto ela se tornará uma pessoa mais confiante, sabendo reconhecer as suas dificuldades para melhoria e suas chances de sucesso aumentarão!

 

Bom, acho que é isto… espero ter despertado algo em você, mamãe, papai, titios, titias, avós, amigos e todos que participam do desenvolvimento da criança.

 

Nossos filhos merecem isto…

E como eu disse no início do Post, comecei a pouco tempo aplicar estes conceitos do método Montessoriano com meu filho, que tem apenas 2 anos e quase 2 meses e o resultado já está sendo maravilhoso.

Vou aprender, estudar mais a respeito, para me tornar uma mãe melhor, pois escolhi ser um ser humano melhor a cada dia…

E você? Como anda a educação de seus filhos por aí?

 

E se curtiu este texto, creio que gostará também de:

você tem certeza que sabe ser mãe de menino ou precisa rever os 6 conceitos?

 

Comentários

Comentários

4 Replies to “sobre o método Montessoriano de ensino”

  1. Oi, Elaine! Acho que sintetizasse muito bem para quem conhece o método há pouco tempo. Como já te disse, meu filhote estudo numa escola montessoriana e eu sou apaixonada pelo método! Especialmente pelo trata individual com cada criança. Cada criança é única, tem preferências e habilidades específicas. Não podemos ensinar a todos num grande grupo a todo momento! Simplesmente não faz sentido!
    Sobre esperar o tempo da criança, escrevi um pouco sobre isso aqui: http://somelhora.com.br/2015/10/06/meu-filho-chega-atrasado-no-colegio/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *