macetes e dicas para plantas dentro de casa

Entrevista que dei para a Revista Nestlé https://www.nestle.com.br/comvoce/ sobre plantas em ambientes internos. Se você gosta de plantas e as cultiva dentro de casa, vai gostar de conferir os macetes e dicas abaixo… vamos lá!

Quais tipos de plantas são mais adequadas para se cultivar dentro de casa? Por quê?

O ideal é analisar as condições internas de calor e luminosidade dentro do ambiente, para a escolha das espécies adequadas, pois quanto mais próximas das condições do habitat natural da planta, maiores são as chances de adaptação.

Quando cultivamos plantas dentro de casa, precisamos estar atentos se falta iluminação adequada, se há ventilação suficiente, falta da luz solar, regas escassas ou em demasia, que podem deixar a vegetação com pragas e doenças e a folhagem murcha e sem brilho.

As folhagens são as que melhor se adaptam dentro de casa, mas em condições onde tenha boa luminosidade e até um pouco de luz solar, pode-se optar por plantas que floresçam. O cultivo de plantas de sombra ou meia sombra, dentro de casa ou apartamento, é uma opção para quem não tem uma área externa de jardim e quer cultivar plantas.

Qual cômodo da casa é mais adequado para elas? É verdade que não devem ficar dentro de quartos?

Qualquer cômodo é adequado, desde que tenha luminosidade adequada, ventilação natural e os cuidados de rega adequados.

Quanto aos dormitórios, dormir com plantas dentro do quarto realmente não é muito recomendável. Mas o motivo não é porque elas respiram durante a noite e podem competir pelo oxigênio. Acontece que para prevenirem-se dos insetos, algumas plantas liberam durante a noite, substâncias que são repelentes naturais contra insetos. São essas substâncias que, no quarto fechado durante a noite, provocam sensação de falta de ar.

Quais pragas podem atacar as plantas e como é possível combatê-las?

Dando às plantas as condições semelhantes ao seu habitat natural, providenciando solo rico em matéria orgânica e tendo atenção à irrigação, evitando excesso ou escassez de água, é possível evitar pragas e doenças nas plantas internas.

As pragas mais comuns são: lagartas, formigas, cochonilhas e pulgões.

Evite o uso de produtos químicos sobre suas plantas interiores. Produtos químicos não só podem afetar as plantas, você, mas também seus animais domésticos e crianças.

Com que frequência elas devem ser irrigadas e adubadas?

O solo deve estar levemente úmido, não encharcando os vasos e cachepôs, pois as plantas de sombra perdem muito menos água do que as de sol e o excesso de água causar o apodrecimento das raízes.

Regar as espécies menores uma a duas vezes por semana e as de porte grande, duas a três vezes regas semanais são essenciais.

Uma dica para saber quando regar é colocar o dedo na terra para sentir a umidade. Se a terra grudar no dedo, o substrato está úmido e não precisa ser molhado.

As espécies de sombra devem ser adubadas duas a três vezes por ano, evitando-se os meses de inverno, quando a planta está em dormência.

Que tipo de adubo deve ser utilizado?

Os adubos orgânicos são os mais recomendados, como húmus de minhoca ou os adubos líquidos, dissolvidos em água.

Como evitar que as folhas fiquem empoeiradas e mantenham uma cor saudável?

Uma característica comum a essas plantas são as folhas largas e grossas, que, por viverem confinadas, tendem a ficar opacas e empoeiradas. Limpando a folhagem com um pano úmido ou sprays de água, pode-se manter a folhagem sempre bonita. Para deixá-las mais vistosas, pode-se recorrer a produtos específicos como substâncias à base de óleos minerais e silicone, que nutrem a planta e previnem doenças e pragas, como a cochonilha. Retirar as folhas secas e amarelas sempre que aparecerem também ajuda na saúde da planta.

Algumas plantas para dentro de casa mais comuns:
– Begônia
– Pacová
– Palmeira Ráfis
– Licuala
– Lírios da paz
– Zamioculca
– Palmeira Chamaedórea
– Antúrio
– Ficus
– Dracena
– Costela-de-Adão
– Violeta

 

Leia também:

5 dicas para pequenos jardins em casa

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *